Hatch polêmico marca a despedida de Bangle da BMW

BMW Série 5 Gran Turismo

Meros dois meses. Esse foi o intervalo de tempo entre a apresentação do carro-conceito Série 5 Gran Turismo, durante o Salão do Automóvel de Genebra, na Suíça, e a divulgação, nesta sexta-feira (22), das primeiras imagens do modelo definitivo, que leva o mesmo nome. O carro mesmo só chega às concessionárias da BMW no fim do ano. Mas, até lá, muito haverá de ser dito sobre o hatchback. A aparência visual, cartão de visita para tudo que merece ser apreciado nesse mundo, não é uma unanimidade. Polêmico, o Série 5 GT é o último projeto assinado pelo designer norteamericano Chris Bangle, ex-funcionário da BMW desde fevereiro. O modelo é praticamente idêntico ao protótipo que serviu de inspiração, ou seja, uma colagem de estilos.

Olhando de lado, não há como negar que o carro herdou os contornos do jipão X6, principalmente quando o alvo da discussão é o caimento acentuado do teto na traseira. A parte frontal e o capô remetem ao Série 7, com exceção dos faróis e da entrada de ar sob o párachoque dianteiro. Atrás, as semelhanças com o sedã de luxo ficam por conta das máscaras das lanternas, das saídas de escape e olhos de gato posicionados nas extremidades do párachoque. Aliás, no caso do GT, as lanternas, divididas pela tampa do porta-malas, lembram mais as do utilitário esportivo X5. Há leds – em forma de auréola – nos faróis, nas lanternas e nas luzes indicadoras de direção.

De acordo com a BMW, o GT mede 4,99 metros de comprimento, 1,55 m, de altura, e 1,90 m, de largura, exatamente as mesmas medidas do carro-conceito e que o credenciam como potencial concorrente de cupês de quatro portas requintados, como o Porsche Panamera, o Mercedes-Benz CLS e o Maserati Quattroporte. O entre-eixos é o mesmo do Série 7, ou seja, 3,07 m, distância suficiente para garantir conforto aos ocupantes. Um aspecto curioso do modelo é a ausência de molduras nas portas e a aplicação de alumínio em sua estrutura, o que proporciona uma redução de 28 quilos em comparação a peças feitas de aço.

Outra característica do GT que chama a atenção é o acesso ao porta-malas que pode ser feito de duas formas. Dependendo da necessidade, a porta traseira se abre por completo ou a tampa inferior pode ser erguida sem a necessidade de levantar o vidro, com em um sedã, possibilitando acesso ao amplo bagageiro, de 440 litros de capacidade. As rodas medem 18 polegadas e estão calçadas com pneus com tecnologia run-flat, que rodam mesmo sem ar.

Entre os equipamentos de série do modelo destacam-se controle eletrônico de estabilidade (ESP), acionamento elétrico do freio de estacionamento, sensores de obstáculos dianteiros – os traseiros são opcionais -, Dynamic Drive Control (sistema responsável pelo gerenciamento dos amortecedores, do acelerador, do câmbio e da direção), Auto Hold (dispositivo que impede que o carro recue caso esteva parado em uma ladeira), faróis de neblina e luz de freio de intensidade variável. Como itens opcionais, o veículo pode ser equipado com faróis de duplo xenon e luz diurna, além de iluminação adaptativa, capaz de acompanhar o movimento do carro em curvas.

Mas se engana quem pensa que a lista de apetrechos tecnológicos do GT chegou ao fim. O hatch também pode ser equipado com itens do Série 7, como os sistemas de suspensão Adaptive Drive, que controla de forma contínua a maciez dos amortecedores e das barras estabilizadoras, e BMW ConnectedDrive, capaz de manter o motorista informado sobre as condições de tráfego e realizar chamadas de emergência por meio do telefone celular, e acessar a internet, entre outros recursos; além do Night Vision, cuja função é detectar e alertar o condutor sobre a presença de pedestres e animais na pista durante a noite ou quando a visibilidade é bastante limitada.

Outros equipamentos do pacote são o sistema de ar-condicionado digital de quatro zonas de climatização, ampla variedade de navegadores GPS, porta USB, disco rígido de 80 gigabytes, rádio digital, tocador de DVD com monitores instalados nos encostos de cabeça dos bancos dianteiros e um dispositivo digital que projeta as informações do computador de bordo na parte inferior do párabrisa (Head-Up-Display). O carro pode vir ainda com teto solar panorâmico de 116 centímetros de comprimento por 94,2 cm de largura.

O interior do Serie 5 GT também exibe muito do requinte encontrado na cabine do sedã topo de linha da BMW. Os revestimentos dispõem de uma ampla gama de tonalidades, entre elas, preto, marfim, marrom, bege e cinza. Todas as versões trazem de série painel forrado de tecido escuro, com exceção do modelo premium 550iGT, que vem com acabamento de couro. Os revestimentos das portas dianteiras e traseiras seguem na mesma linha. O quadro de instrumentos, por sua vez, é uma cópia do que equipa o Série 7, com quatro mostradores arredondados sobre um fundo negro, ligeiramente inclinado para frente. Há ainda uma tela de LCD, de 10,2 polegadas, no centro do painel, em que é possível visualizar todas as funções do sistema iDrive, que inclui as configurações de áudio e climatização, entre outras. Todos os assentos possuem regulagem elétrica de altura, inclinação e profundidade, sendo que os traseiros podem recuar até 10 cm.

O Gran Turismo será oferecido com três opções de motores. O modelo 535i GT virá com um 3.0 litros de seis cilindros em linha, twinturbo, de injeção direta de combustível e sistema Valvetronic, capaz de entregar 306 cv e 40,8 kgfm de torque. Já o topo de linha 550i GT trará sob o capô um 4.4 l V8 de 407 cv e 61,2 kgfm de torque, também twinturbo e com injeção direta. Já o 530d GT contará com um bloco 3.0 l turbodiesel, de 245 cv e 55 kgfm. Os motores a gasolina atingem a velocidade máxima de 250 km/h (limitada eletronicamente) e aceleram de 0 (zero) a 100 km/h em 6,3 segundos e 5,5 s, respectivamente. No bloco a diesel, os 100 km/h são atingidos a partir da inércia em 6,9 s. A máxima, nesse caso, é de 240 km/h.

[wppa type=”slide” album=”3317″][/wppa]