Para garantir a segurança veicular é fundamental que três aspectos sejam levados em consideração: boas práticas dos motoristas, itens de segurança e tecnologias embarcadas do veículo. 

Em termos de tecnologias criadas para minimizar acidentes, órgãos internacionais que regulam a questão veicular em diversas regiões do mundo como os norte-americanos Insurance Institute for Highway Safety (IIHS) e National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA), além do europeu Euro NCAP desenvolveram estudos para mensurar os benefícios de sistemas ativos e passivos de segurança.

A pesquisa das renomadas entidades apontam que os cintos de segurança reduzem em 50% os riscos de ferimentos fatais. Outro destaque é que o simples sistema de alerta de uso de cinto de segurança tem salvado algo cerca de 5% das vidas em um acidente.

Já os airbags laterais reduzem o risco de fatalidade em 37%, sendo que se o modelo em questão for um SUV a média sobe para 52%. No caso dos airbags frontais, quando utilizados junto com o cinto de segurança, implicam em 26% menos chances de ferimentos fatais para o motorista e 14% para o passageiro.

E quando o assunto é colisão traseira, a tecnologia de Frenagem Autônoma de Emergência (em inglês Autonomous Emergency Braking – AEB) diminui em 38% as chances de acidentes.

Por fim, outro sistema capaz de minimizar as chances de acidentes em 23% é o Controle Eletrônico de Estabilidade (em inglês, Electronic Stability Control – ESC). Em caso de capotamento, essa tecnologia pode reduzir até 56% em veículos de passeio e até 74% em picapes e utilitários.

No Brasil, a picape Fiat Toro equipada com controles de tração e estabilidade, além de dois airbags conquistou quatro estrelas em testes de impacto do Latin NCAP

+ Fiat Toro conquista quatro estrelas em testes de impacto do Latin NCAP

O QUE É SEGURANÇA ATIVA E PASSIVA?

De acordo com o superintendente técnico do , Emerson Feliciano, é possível definir segurança veicular como o processo de desenvolvimento de tecnologias e soluções automotivas que tem o objetivo de proteger o motorista, os ocupantes e, eventualmente as demais pessoas envolvidas no trânsito. Abaixo, o especialista detalha os cinco grupo de segurança relacionada aos automóveis.

  • 1 – Segurança ativa: É o grupo de tecnologias de segurança desenvolvido para evitar o acidente, por exemplo, o Antilock Braking System (ABS), o Electronic Stability Control (ESC), entre outros.
  • 2 – Segurança passiva: É toda proteção desenvolvida para minimizar os ferimentos em caso de acidentes. Entre eles, é possível citar: airbags, apoio de cabeça, cinto de segurança de três pontas, isofix etc.
  • 3 – Assistência à condução: São sistemas e dispositivos que auxiliam o condutor do veículo à uma direção mais segura. Neste caso, é possível citar: alerta de frenagem de emergência, Head–Up Display (HUD), desembaçador traseiro, detector de mudança de faixa (lane detection), frenagem autônoma de emergência, entre outros.
  • 4 – Assistência à segurança: Estes equipamentos visam alertar os passageiros para o uso de equipamentos de segurança, ou seja, são os já conhecidos alerta de desativação de airbag (visível), alerta de uso de cinto de segurança e o detector de fadiga.
  • 5 – Proteção ao pedestre: São soluções tecnológicas e inovadoras que tem o objetivo de diminuir os ferimentos ao pedestre em caso de atropelamento. Entres eles, listamos o capô ativo, barra de proteção ao pedestre e até airbag para pedestre.

Imagens: Divulgação: