Em 2016, quando o Volkswagen Golf ganhou a versão equipada com o motor 1.0 TSI, adiantamos que esse propulsor substituiria o 1.6 MSI aspirado, mas a ausência do câmbio automático poderia ser um empecilho para as vendas do hatch. Agora, na linha 2019, o Golf passa a oferecer a motorização turbinada com transmissão automática na versão de entrada Comfortline – não mais a caixa manual.

+ Teste instrumentado: Volkswagen Golf desafia o preconceito com motor 1.0 turbo e câmbio manual

Junto com a nova mecânica veio a reestilização lançada na Europa há mais de um ano. Para-choques e faróis redesenhados, adição de novas luzes diurnas de LED e lanternas com novo arranjo de iluminação.

O Golf Comfortline é equipado com o mesmo conjunto mecânico das versões Comfortline e Highline do Polo: motor 1.0 TSI com turbo e injeção direta, que entrega até 128 cv de potência com etanol e 20,4 kgfm de torque, combinado ao câmbio automático Tiptronic de seis marchas. Embora também seja da família de motores EA211, este motor não é o mesmo do up! TSI por conta de uma série de alterações, como bielas e pistões reforçados e turbocompressor com carcaça mais robusta.

E, como era de se esperar, as novidades chegaram com um substancial aumento de preços. O Golf 1.0 TSI, que na época do lançamento custava R$ 74.990, agora parte de R$ 91.790. É bem verdade que também aumentou a quantidade de equipamentos de série, com a inclusão de cinco airbags aos dois frontais obrigatórios. O hatch ainda é equipado com sensor de pressão dos pneus, ar-condicionado; câmera de ré; sensores de estacionamento dianteiro e traseiro; direção, vidros e retrovisores elétricos; lanterna traseira em LED, rodas de 16 polegadas, central multimídia com tela de 8 polegadas; controles eletrônicos de estabilidade e tração; piloto automático; ajuste de altura e profundidade da coluna de direção; faróis de neblina; entre outros.

Entre os opcionais, o Golf Comfortline 1.0 TSI ainda pode receber teto solar panorâmico (R$ 4.800) e rodas de liga leve de 17 polegadas (R$ 2.450). Com esses dois itens, mais a pintura metálica (R$ 1.750) ou perolizada (R$ 2.200), o hatch acaba superando a barreira dos R$ 100 mil – valor até então inimaginável para um hatch médio com motorização de 1.0 litro.

Em contrapartida ao preço elevado, o Golf mantém o bom nível de acabamento interno, com materiais macios ao toque e apliques que imitam alumínio escovado no painel, e a dinâmica muito bem acertada que fez a sua fama ao longo dos anos.

O hatch é esperto nas arrancadas e o motor 1.0 turbo garante retomadas e ultrapassagens com segurança. No uso urbano, o câmbio automático tem acerto voltado ao conforto, mas faz trocas rápidas e garante um bom desempenho quando o carro é exigido. Com suspensões bem calibradas e direção precisa, o Golf confere ao motorista uma dirigibilidade prazerosa.

No entanto, o consumidor disposto a pagar R$ 100 mil reais por um carro deseja um “algo mais” do que o Golf Comfortline 1.0 TSI oferece. Por esse motivo, convidamos Felipe Carvalho, o “Caçador de Carros” para dar opções de modelos usados com até três anos de uso. Confira no vídeo abaixo:

Teste Belta-diet.info-Mauá
 
Consumo cidade8,0 km/l (e)
10,6 km/l (g)
Consumo estrada13,5 km/l (e)
16,9 km/k (g)
0 a 60 km/h 4,71 segundos (e)
4,89 segundos (g)
0 a 100 km/h 10,78 segundos (e)
11,46 segundos (g)
0 a 120 km/h14,96 segundos (e)
16,01 segundos (g)
Retomada 40 a 100 km/h8,08 segundos (e)
8,53 segundos (g)
Retomada 80 a 120 km/h7,51 segundos (e)
8,19 segundos (g)
Aceleração em 400 metros17,50 segundos - 129,47 km/h (e)
17,87 segundos - 126,13 km/h (g)
Aceleração em 1000 metros32,15 segundos - 162,63 km/h (e)
32,99 segundos - 157,89 km/h (g)
Frenagem 100 a 0 km/h 50,3 metros