Fabricada no Brasil entre 1957 e 1975, a primeira geração da Volkswagen Kombi se tornou objeto de desejo de colecionadores de carros antigos no exterior. Muitos exemplares foram exportados para os Estados Unidos e Europa nos últimos anos, onde chegam por preços convidativos. Mas uma dessas Kombis brasileiras ganhou destaque negativo na última sexta-feira (30) após ser apreendida em Hamburgo, na Alemanha.

O veículo com placas de Hortolândia, no interior do estado de São Paulo, estava carregado com 100 quilos de cocaína de alto grau de pureza escondidos em um compartimento falso sob o banco traseiro. Segundo a agência de notícias alemã , o entorpecente está avaliado em 21 milhões de euros, o equivalente a R$ 89,3 milhões em conversão direta.

A Kombi 1974 com pintura saia e blusa branca e verde chegou à Alemanha de navio, dentro de um contêiner enviado do Brasil. A droga foi descoberta durante a inspeção com aparelhos de raio X.

Segundo as autoridades locais, o esconderijo dos tabletes de cocaína era quase perfeito, mostrando que se trata de um “trabalho profissional”. Até a publicação da notícia, a polícia alemã não havia divulgado se alguém foi preso.

Fotos: Deutsche Welle/dpa/D. Reinardi