Image

Volkswagen T-Cross ou Honda HR-V Touring? No duelo de turbinados, preço é decisivo

19

jun
2019

O Honda HR-V acaba de chegar à linha 2020 como o mais novo integrante da turma dos SUVs turbinados. A versão topo de linha Touring retorna cobrando R$ 139.900 pelo motor herdado do Civic e equipamentos exclusivos. Para saber se vale a pena investir tanto dinheiro na novidade, confrontamos o Honda com o recém-chegado Volkswagen T-Cross Highline (R$ 109.990), que também aposta na motorização turbo e itens tecnológicos para conquistar a crescente clientela de utilitários esportivos e crossovers compactos.

EQUIPAMENTOS
Na versão Touring, o Honda HR-V oferece os faróis full LED com acendimento automático e alguns equipamentos até então disponíveis apenas no exterior, como o teto solar panorâmico e a câmera instalada no retrovisor do lado direito (LaneWatch), que mostra se há algum veículo na área de ponto cego do espelho.

Para se equiparar ao rival, o T-Cross Highline tem de recorrer aos opcionais. No Volkswagen, o teto solar sai por mais R$ 4.800, uma vez que os faróis full LED (com ajuste automático do facho alto) integram o pacote Tech & Beats (R$ 6.050), composto pelo sistema de estacionamento automático Park Assist e o som premium Beats com subwoofer no porta-malas.

O SUV da Volks ainda pode receber o pacote Innovation de R$ 4 mil, que adiciona o sistema de modos de condução e o painel digital Active Info integrado à central multimídia Discover Media. Completão, incluindo a pintura metálica bronze Namíbia (R$ 1.890) do carro das fotos, o T-Cross Highline chega a custar salgados R$ 126.730 – ainda assim são R$ 13.170 a menos que o HR-V Touring.

Em comum, eles oferecem chave presencial com partida do motor por botão e ar-condicionado automático digital de uma zona (mas somente o T-Cross conta com saídas para os passageiros do banco traseiro). As centrais multimídia possuem GPS nativo e são compatíveis com os sistemas Android Auto e Apple CarPlay.

Painel digital do T-Cross Highline é oferecido como opcional

Com funcionamento mais rápido e intuitivo, o equipamento da Volkswagen é mais completo por estar integrado ao computador de bordo do carro e dispor de três tomadas USB (duas para quem viaja no banco de trás). Além disso, a tela de 8 polegadas sensível ao toque tem resolução melhor que o monitor de 7” da Honda.

SEGURANÇA
A dupla traz de série seis airbags, controles de estabilidade e tração, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, freios a disco com ABS nas quatro rodas, sistemas de frenagem pós-colisão e vetorização de torque – recurso eletrônico que atua nos freios dianteiros, se necessário, para manter o carro na trajetória em curvas.

O HR-V Touring ainda conta com sensor de chuva, enquanto o T-Cross Highline possui detector de fadiga do motorista.

HR-V É MAIS ESPAÇOSO
O Honda compensa, de certa forma, a desvantagem em conteúdo com uma cabine melhor acabada e um pouco mais espaçosa. O revestimento de couro cinza claro nos bancos e na faixa central do painel conferem um ambiente mais sofisticado que o do Volkswagen. Mesmo na versão topo de linha, o T-Cross peca no acabamento com materiais um tanto simples para um carro da sua faixa de preços.

Cabine do HR-V Touring tem acabamento superior que a do T-Cross Highline

Os dois acomodam bem quatro adultos, porém, o HR-V passa a impressão de ter mais espaço lateral e para as pernas dos ocupantes. O Honda ainda leva 20 litros a mais de bagagem (393 litros), mesmo com a redução do porta-malas em relação às versões com motor 1.8 aspirado (437 litros) – a parte traseira do assoalho sofreu uma adaptação para acomodar o novo sistema de escape. O banco traseiro, no entanto, manteve as diferentes posições de rebatimento para transportar objetos grandes.

Porta-malas do HR-V Touring leva 393 litros de bagagem contra 373 l do T-Cross Highline

No T-Cross, o porta-malas possui 373 litros de capacidade, que pode ser ampliada para 420 litros utilizando o sistema que inclina verticalmente o encosto do banco traseiro e, consequentemente, compromete um pouco o conforto dos passageiros em longos trajetos.

MOTORIZAÇÃO, DESEMPENHO E CONSUMO
A principal novidade do HR-V Touring é o motor 1.5 turbo importado do Japão – a unidade que equipa o Civic Touring vem dos Estados Unidos por conta das peculiaridades dos projetos de cada modelo, incluindo o escapamento de aço inoxidável com silencioso maior e duas saídas. O propulsor movido apenas a gasolina entrega 173 cv de potência a 5.500 rpm e 22,4 kgfm de torque entre 1.700 e 5.500 rpm, combinado a uma versão reforçada do câmbio automático CVT com simulação de sete velocidades.

Maior, escapamento do motor 1.5 turbo reduziu o espaço do porta-malas do HR-V Touring

Já o T-Cross Highline leva sob o capô o 1.4 TSI flex de 150 cv (a 5.000 rpm) e 25,5 kgfm (de 1.500 a 4.000 rpm), compartilhado com Golf, Jetta e Tiguan. A transmissão é automática de seis marchas com conversor de torque.

Na pista de testes do Instituto Mauá de Tecnologia, o HR-V Touring levou boa vantagem nas provas de aceleração e retomada, mesmo com o T-Cross Highline abastecido com etanol. O Honda precisou de 8,09 segundos para atingir os 100 km/h, enquanto o Volkswagen levou 9,29 segundos rodando com o combustível vegetal (veja o teste completo na tabela abaixo).

Embora seja 88 kg mais pesado e o seu motor tenha menos torque que o do T-Cross Highline, o HR-V Touring entrega desempenho superior devido à programação mais esperta do câmbio CVT. A transmissão explora bem a força do propulsor nas rotações elevadas, enquanto a caixa automática do Volks prioriza marchas mais altas a favor do conforto e da economia de combustível. Ambos contam com modo esportivo e borboletas para trocas de marchas no volante.

Nas medições de consumo, o HR-V Touring foi um pouco mais econômico que o rival abastecido com gasolina em percurso rodoviário (17,7 km/l contra 17,5 km/l). O T-Cross, entretanto, consumiu menos na cidade (11,9 km/l ante 10,6 km/l).

Ao volante, o Honda agrada mais pela direção mais comunicativa e posição de dirigir mais baixa. O Volks também é um carro bom de guiar, com desempenho bastante satisfatório para a sua proposta e posto de condução típico de SUVs.

SEGURO
Apesar de mais caro, o HR-V Touring levou uma pequena vantagem nas cotações de seguro feitas pela Belta-diet.info Corretora (11 4901-4938 e 11 3019-2900). O preço médio das apólices do Honda ficou em R$ 4.973, com valor médio de franquia de R$ 6.746. A cobertura do T-Cross Highline teve custo médio de R$ 5.022 e franquia média de R$ 7.361.

A simulação foi feita considerando o seguinte perfil: homem de 50 anos, casado, sem filhos, morador de Santo André (SP) na Grande São Paulo, com garagem fechada na residência, não utilizará o carro como parte do trabalho e sem histórico de furto ou roubo de veículos nos últimos dois anos.

As apólices de seguro cobrem os veículos em 100% do valor da Tabela Fipe, com indenizações de R$ 100 mil a danos materiais, R$ 100 mil a danos corporais, assistência 24 horas, além de carro reserva com ar-condicionado por sete dias. As propostas não cobrem danos provocados por motoristas com idade entre 18 e 25 anos.

REVISÕES
Ambos têm três anos de garantia sem limite de quilometragem e revisões previstas para cada 10.000 km ou anualmente. A Volkswagen oferece as três primeiras verificações do T-Cross sem custo ao cliente. Na Honda, a mão de obra é gratuita para as revisões de 10.000 km e 20.000 km, cujos valores do serviço variam de acordo com a região do país.

CONCLUSÃO: T-CROSS É O VENCEDOR
O Honda HR-V Touring atrai pelo bom desempenho do motor turbo, mas só isso não é suficiente para desembolsar um valor que permite comprar carros de categoria superiores. O Volkswagen T-Cross Highline também não é barato, mas oferece praticamente tudo o que o rival tem com um custo/benefício superior, mesmo com todos os opcionais e seguro um pouco mais caro (no caso do perfil simulado).

Teste Belta-diet.info-Mauá

 
VW T-Cross Highline
Honda HR-V Touring
0 a 60 km/h4,46 segundos (g)
4,28 segundos (e)
4,01 segundos
0 a 100 km/h9,86 segundos (g)
9,29 segundos (e)
8,09 segundos
0 a 120 km/h13,53 segundos (g)
12,58 segundos (e)
11,16 segundos
Aceleração em 5 segundos51,38 metros/65,18 km/h (g)
52,34 metros/67,67 km/h (e)
52,62 metros/71,94 km/h
Aceleração em 400 metros16,99 segundos/134,38 km/h (g)
16,61 segundos/137,77 km/h (e)
15,99 segundos/144,54 km/h
Aceleração em 1000 metros31,12 segundos/168,85 km/h (g)
30,38 segundos/173,68 km/h (e)
28,98 segundos/183,94 km/h
Retomada 40 a 100 km/h7,43 segundos (g)
7,01 segundos (e)
5,71 segundos
Retomada 80 a 120 km/h6,86 segundos (g)
6,34 segundos (e)
5,32 segundos
Frenagem 100 a 0 km/h49,6 metros50,4 metros
Consumo cidade11,9 km/l (g)
7,8 km/l (e)
10,6 km/l
Consumo estrada17,5 km/l (g)
13,7 km/l (e)
17,7 km/l

Ficha técnica

 
VW T-Cross Highline
Honda HR-V Touring
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugaresMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, turbocompressor, injeção direta de combustível, duplo comando variável de válvulas na admissão e escape acionado por correia dentada, a gasolina e/ou etanol Dianteiro, transversal, turbocompressor, injeção direta de combustível, duplo comando variável de válvulas na admissão e escape acionado por corrente, a gasolina
Número de cilindros4 em linha4 em linha
Número de válvulas1616
Taxa de compressão10:110,6:1
Cilindrada1.395 cm³1.498 cm³
Potência 150 cv a 5.000 rpm173 cv a 5.500 rpm
Torque25,5 kgfm entre 1.500 e 4.000 rpm22,4 kgfm entre 1.700 e 5.500 rpm
TransmissãoAutomática de seis marchasAutomática CVT com simulação de sete marchas
TraçãoDianteiraDianteira
DireçãoElétricaElétrica
Suspensão dianteiraIndependente McPherson com molas helicoidaisIndependente McPherson com molas helicoidais
Suspensão traseiraEixo de torção com molas helicoidaisEixo de torção com molas helicoidais
Pneus e rodas205/55 R17, liga leve 17"215/55 R17, liga leve 17"
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBDDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos sólidos com ABS e EBDDiscos sólidos com ABS e EBD
Tanque de combustível 52 litros51 litros
Volume do porta-malas 373/420 litros393 litros
Altura1,57 m1,65 m
Comprimento4,20 m4,32 m
Largura (sem espelhos)1,76 m1,77 m
Entre-eixos 2,65 m2,61 m
Peso em ordem de marcha1.292 kg1.380 kg

Fotos: Renan Rodrigues, Guilherme Silva e Divulgação

Sobre o autor

Editor-assistente. Gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas sempre se diverte quando precisa avaliar um utilitário no fora-de-estrada ou acelerar um superesportivo num autódromo.
https://best-mining.com.ua

http://topobzor.info/nomu-s20/

примоболан