Image

Caro e tecnológico, novo Range Rover Evoque é mais que um SUV para ir ao shopping

16

ago
2019

Após oito anos e quase 800 mil unidades vendidas no mundo, o Range Rover Evoque estreia no Brasil a segunda geração tentando repetir o sucesso do antecessor. Embora a única versão disponível por aqui ultrapasse a barreira dos R$ 300 mil, o SUV aposta na tecnologia e versatilidade fora do asfalto como argumentos de venda e provar que é mais que um carro de visual invocado para passear na cidade.

Apesar de algumas semelhanças visuais com o modelo anterior, o novo Evoque é construído sobre a inédita plataforma PTA (Premium Transverse Architecture). A estrutura foi desenvolvida com maior quantidade de aços de alta resistência para reduzir o peso e deixar o SUV 13% mais rígido. Esse projeto também foi pensado para o uso de propulsão híbrida sem interferir no espaço interno e na dinâmica do carro. Segundo a Land Rover, da geração anterior o Evoque atual aproveita apenas as dobradiças das portas.

Nesta geração, o SUV manteve os 4,37 metros de comprimento, mas ganhou um centímetro na largura (2,10 m) e 2,1 cm no entre-eixos (2,68 m). A altura foi reduzida em 1,1cm (1,64 m), enquanto o porta-malas está 16 litros mais espaçoso (591 litros).

Ainda que chame a atenção pelas linhas inspiradas no irmão maior Velar, o novo Evoque não impressiona como o antecessor. No entanto, compensa essa perda de personalidade abusando da tecnologia em praticamente todos os recursos possíveis.

Começando pela motorização Ingenium de quatro cilindros 2.0 turbo a gasolina de 300 cv de potência e quase 41 kgfm de torque (a mesma do Jaguar F-Type P300), auxiliada por um sistema híbrido leve. Um propulsor elétrico de 14 cv e 14,2 kgfm, conectado por uma correia ao virabrequim da unidade a combustão, ajuda a mover o SUV no uso urbano e fornece força extra em acelerações e retomadas.

O sistema ainda faz as funções de alternador, motor de partida e alimenta os demais componentes elétricos, reduzindo para 12V a tensão da energia armazenada na bateria de 48V instalada sob o assoalho do carro. O Evoque não é capaz de se locomover apenas com eletricidade como um híbrido convencional, mas a Land Rover diz que a assistência reduz o consumo de combustível em até 6%.

A tecnologia também está presente na nova geração do sistema de tração Terrain Response. No Evoque, o recurso pode adaptar automaticamente os parâmetros do motor e transmissão interpretando por conta própria as condições do terreno percorrido.

Deixando o conjunto motriz um pouco de lado, outro grande barato do Evoque é a integração das telas do painel de instrumentos, central multimídia e console central. O motorista pode configurar diversos modos de visualização, projetando as principais funções do carro no visor à sua frente e usando o sistema de entretenimento para o GPS ou aplicativo de navegação, por exemplo. Nessa situação, as informações da multimídia são reproduzidas na tela à frente da alavanca de câmbio.

Durante o primeiro contato com o novo Evoque, foi possível submetê-lo a condições urbanas e rodoviárias. Nem é preciso dizer que o motor de 300 cv tem potência de sobra em viagens. Com três adultos e alguma bagagem a bordo, o SUV esbanjou fôlego em ultrapassagens e retomadas nas estradinhas sinuosas na região de Pardinho, no interior de São Paulo. Nesta geração, o SUV aparenta estar mais macio que o antecessor, porém, manteve o comportamento direcional exemplar em curvas e velocidades mais altas. Sem nos preocuparmos com o consumo de combustível, o Evoque fez médias de 9 km/l respeitando o limite de velocidade de 120 km/h da Rodovia Castelo Branco.

O isolamento acústico é outro ponto que merece elogios. Apesar das grandes rodas de 20 polegadas, a cabine filtra bem os ruídos de rodagem mesmo rodando sobre o asfalto mal conservado das estradas secundárias que as concessionárias de rodovias ignoram enquanto o estado não assume a manutenção.

Com adversários do quilate de Audi Q5, Porsche Macan e Volvo XC60 apontando a mira para o Evoque, a Land Rover fez questão de mostrar que o seu SUV é capaz de ir além dos passeios ao shopping center. É muito pouco provável que alguém coloque um SUV de mais de R$ 300 mil na lama, mas o Evoque provou que não passa aperto nas estradinhas de chão batido que levam até a fazenda ou à casa de praia.

Como dissemos anteriormente, o modo Auto do sistema Terrain Response faz praticamente tudo sozinho para adaptar o carro ao piso. Durante o teste-drive, rodamos por diversas estradas de cascalho onde a nossa maior preocupação era evitar que alguma pedra pontiaguda rasgasse os pneus. Fora isso, o Evoque aproveitou bem o torque do motor para superar ladeiras íngremes e pequenos barrancos. Capaz de atravessar alagamentos de até 60 centímetros de profundidade (mesma medida da maioria das picapes médias), o SUV também tirou de letra na hora de passar por alguns cursos d’água no caminho.

Câmeras instaladas pela carroceria ajudam a enxergar até mesmo sob o veículo. Um sistema chamado “capô invisível” mostra o caminho na tela de 10 polegadas da central multimídia, como se não tivesse o motor na frente do carro (imagem abaixo).

Outra câmera projeta no espelho interno o que se passa atrás do SUV, auxiliando o motorista quando o vidro de trás estiver obstruído por algum objeto alto ou passageiros.

Há também um tipo de piloto automático off-road, que acelera o carro até uma velocidade pré-definida. O motorista precisa se atentar somente à direção e freios enquanto o sistema controla sozinho a distribuição de força e tração entre as rodas.

Por ora, o novo Evoque é vendido apenas na configuração topo de linha P300 HSE R-Dynamic de R$ 312.900. Esse valor dá direito ao piloto automático adaptativo, assistências de ponto cego e manutenção em faixa, sistema de estacionamento automático, seis airbags, bancos revestidos em couro Windsor, sistema de som Meridian, câmeras de ré com visão 360º, tampa do porta-malas com abertura e fechamento elétricos, rodas de 20 polegadas, faróis de LED, entre outros. Mas essa conta pode chegar a R$ 322.300 acrescentando a coluna de direção com regulagem elétrica, pintura metálica e o pacote Black (detalhes externos na cor preta).

O Evoque evoluiu em praticamente todos os aspectos, inclusive no preço. O SUV ganhará ainda este ano versões mais em conta (na faixa dos R$ 270 mil), equipadas com a motorização 2.0 turbo flex de 250 cv de potência.

Teste-drive a convite da Jaguar Land Rover
Fotos: Guilherme Silva e Divulgação

FICHA TÉCNICA
 
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, comando duplo variável, turbocompressor, injeção direta, a gasolina
Número de cilindros4
Número de válvulas16 (quatro por cilindro)
Taxa de compressão9,5:1
Cilindrada1.998 cm³
Potência 300 cv a 5.500 rpm
Torque40,8 kgfm de 1.500 a 4.500 rpm
TransmissãoAutomática de nove marchas
TraçãoIntegral sob demanda
DireçãoElétrica
Suspensão dianteiraIndependente McPherson
Suspensão traseiraIndependente multilink
Pneus e rodas235/50R20, liga leve 20"
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos sólidos com ABS e EBD
Tanque de combustível 67 litros
Volume do porta-malas591 litros
Altura1,64 m
Comprimento4,37 m
Largura1,90 m (sem espelhos)
Entre-eixos 2,68 m
Peso em ordem de marcha1.850 kg
Ângulo de entrada20,8º
Ângulo de saída30,6º
Ângulo de ruptura de rampa20,7º
Altura livre do solo21,2 cm
Inclinação máxima de subida e descida45º
Inclinação lateral35º
Diâmetro de giro11,6 m
Coeficiente aerodinâmico (Cd)0.33
Aceleração 0 a 100 km/h 6,6 segundos
Velocidade máxima 242 km/h

Sobre o autor

Editor-assistente. Gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas sempre se diverte quando precisa avaliar um utilitário no fora-de-estrada ou acelerar um superesportivo num autódromo.