Image

Caoa Chery confirma produção nacional de sedã médio e SUV de 7 lugares

07

out
2019

De acordo com o site Automotive Business, a Caoa Chery produzirá mais dois modelos no Brasil a partir do ano que vem. Um deles será o Arrizo 6, sedã médio apresentado no Salão de Pequim de 2018 que chegará para competir contra os consagrados Toyota Corolla, Honda Civic, Chevrolet Cruze e Volkswagen Jetta.

O Arrizo 6 será feito na fábrica da Caoa Chery em Jacareí (SP), apostando na tradicional fórmula das marcas chinesas: pacote de equipamentos generoso a preços competitivos. No entanto, a marca ainda não revelou quanto o modelo vai custar.

Entre os principais itens de série há seis airbags, controle eletrônico de estabilidade, monitoramento da pressão dos pneus, ar-condicionado digital, luzes diurnas e lanternas de LED, rodas aro 17”, retrovisores com rebatimento elétrico, central multimídia com espelhamento de smartphones Android e Apple por meio dos sistema Mirror Link, câmera 360º, entre outros.

Construído a partir da plataforma M1X, desenvolvida em parceria com a Land Rover, o sedã mede 4,71 metros de comprimento por 1,49 m de altura, 1,82 m de largura e 2,67 m de distância entre-eixos. O porta-malas de 570 litros será o maior da categoria.

Para empurrar os 1.355 kg do Arrizo 6, a Caoa Chery manterá o motor 1.5 turbo flex usado nos SUVs Tiggo 5x e Tiggo 7, combinado a um câmbio automático CVT que simula nove marchas. O propulsor rende até 150 cv de potência e 19,4 kgfm quando abastecido com etanol (a versão chinesa movida apenas a gasolina entrega 21,4 kgfm).

Outro modelo que teve a produção nacional confirmada é o SUV grande Tiggo 8. Este será feito em Anápolis (GO), junto com os irmão Tiggo 5x e Tiggo 7. O modelo tem porte parecido com o do Chevrolet Trailblazer, medindo 4,70 metros de comprimento, 1,74 m de altura, 1,86 m de largura e 2,71 m de entre-eixos. O porta-malas acomoda 892 litros de bagagem.

Capaz de levar sete ocupantes, o Tiggo 8 será movido por um motor 1.6 turbo com injeção direta de 200 cv, potência que poderá ser aumentada com o uso de etanol.

Fotos: Divulgação

Sobre o autor

Editor-assistente. Gosta e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. Prefere carros compactos e práticos, mas sempre se diverte quando precisa avaliar um utilitário no fora-de-estrada ou acelerar um superesportivo num autódromo.